Alter do Chão – Para

alter-dochao

Sede Principal – Amazônia – Alter do Chão – Para

Somos uma irmandade global baseada nos princípios do Amor, Verdade e Pro-Criação.

Buscamos a reintegração do “Ser” com a Natureza e o despertar de uma consciência coletiva, livre de dogmas, doutrinas ou qualquer linha religiosa. Nossa filosofia e voltada para a busca da verdade interior existente em cada um de nos.

Utilizamos como ferramenta de poder a bebida sacramental, utilizada por nossos ancestrais indígenas a milhares de anos atrás, por nos conhecida como “Xamae”, ou mundialmente como Ayahuasca. O “Xamae” e o elo que nos conecta com os elementos naturais e a consciência universal. Nossas práticas Xamânicas são realizadas a cada mês em noites de Lua Cheia e Lua Nova. Em nossas cerimonias todos somos iguais e livres para se reencontrar, meditar e compartilhar sons, cantos ou apenas ficar em silêncio se assim desejar. Ninguém e obrigado a fazer nada que não lhe seja conveniente. Cada ser ou individuo possui o seu proprio caminho, sua própria verdade. Em nossas cerimonias não buscamos guiar ninguém, e tão pouco ditar o caminho a ser seguido. Esperamos que cada um, dentro da sua experiencia, deva enxergar em si a sua própria Luz e trazer ao mundo a expressão de uma consciência mais elevada para compartilhar com os irmãos do nosso planeta Terra.

Nossas portas estão abertas a todos os seres de boa intenção, livres de julgamentos e que estejam em busca do seu reencontro. A Irmandade Comunindios e uma associação sem fins lucrativos que não visa nenhum lucro. Entretanto, não podemos nos dar o luxo de fornecer alimento para todos os voluntários. Por isso compartilhamos todos os custos de Alimentação e alojamento com aqueles que estiverem interessados em se hospedar em nossa comunidade. Todos os valores arrecadados sao para cobrir os gastos em investimento nos projetos da Comunindios. Aqueles que se interessarem em fazer doações para novos projetos, sao bem vindos.

Alem das cerimonias realizadas 2 vezes ao mês, existem também outras actividades que são propostas a cada dia para o crescimento e manutenção do espaço físico da Comunindios. Todas as actividades são voluntarias e criadas de acordo com as necessidades da Irmandade. Os Voluntários trabalham no jardim, plantando novas arvores, limpando a area e organizando o espaço ao redor. Em algumas ocasiões todos são convidados para trabalhar em novas construções que são necessárias para o alojamento de novos voluntarios que viram a chegar.

Em dias de “Festio” (dia do preparo do Xamae/Ayahuasca), os voluntários são convidados para participar do cozimento e conhecer como se leva o processo de produção da medicina. Nos apreciamos ideias criativas e iniciativas de pessoas que queiram colaborar com novos projectos para o desenvolvimento e aperfeiçoamento da Comunindios. Aqueles que tenham conhecimento em áreas específicas, podem organizar workshops para compartilhar com toda comunidade local.

 

Como Chegar a Comunindios – sede principal ?

Nosso espaço fisico esta localizado na vila balnearia de “Alter do Chao”. Uma vila conhecida como “Caribe Brasileiro”. Lugar de belíssimas praias de areia branca, agua doce e rodeado por uma vegetação paradisiaca, onde também esta localizado a maior lagoa subterrânea de agua doce do mundo. A Cidade mais próxima e Santarem. Localizada a uma hora, vindo de ônibus. Para chegar ate Santarem, o transporte mais utilizado sao as embarcações fluviais. Viajem que percorre o Maior rio do mundo, o Grandioso Amazonas. Podendo vir desde Manaus-Amazonas (viagem mais curta, em torno de 30 horas), ou mesmo Belem-Para (aproximadamente 55 horas). Podendo também chegar a Santarem através de Avião.

Desde Sao Paulo ou Rio de Janeiro ate a Comunindios na Amazonia, voce pode escolher o veiculo que preferir, (Ônibus ou Avião). Seguir viagem ate o norte do Pais, podendo escolher entre Belem-Para ou Manaus-Amazonas. Depois que chegar na cidade que escolheu (Belem ou Manaus), basta seguir viagem ate Santarem, através de barco ou avião. Chegando em Santarem, so precisa perguntar como fazer para chegar na vila de “Alter do Chao”. Assim que estiver chegando na Vila, so precisa perguntar aos moradores locais onde fica a “Comunindios”. OK. Para qualquer duvida favor entrar em contato através de nosso telefone residencial. (0055-(93)-3527-1190).

Entrevista com Paulo Brasil (2007)

Entrevista realizada com Paulo Edson Brasil Freitas Braga (Xamã Paulo Brasil) – Ano: 2007

 

1) O que significa a AICBB?

R: A AICBB hoje é uma sigla que significa Associação Irmandade Comuníndios Bandeira Branca. Esse é o nome que faz com que as pessoas se agrupem em torno da filosofia…

 

2) O que a AICBB desenvolve?

R: O nosso objetivo é que cada pessoa possa conhecer-se melhor, e entender o que esta em volta com mais clareza. A intenção do trabalho da AICBB é oferecer oportunidade pra que cada um volte a exercer seu nome cientifico que é homo sapiens.

 

3) Conte a historia da AICBB. Onde ela surgiu e quando começou?

R: Foi justamente quando eu me perguntei o que se faria necessário pra que nós, humanos, tornássemos novamente homo sapiens. Observando em volta o complexo social você pode observar que estamos mais para animais curvos e safados. Faz-se necessário encontrar símbolos, formas, filosofias para que o homem entenda o motivo de se tornar novamente homo sapiens. Foi com essas indagações, com essa busca de como encontrar esses símbolos, essas respostas para nos tornarmos homo sapiens, que a história começou.

 

4) Onde sua historia começou?

R: Ela começou na beira do Tapajós …
… Quando um reduto de pessoas resolveu sair da cidade, cada um com um barco, buscando encontrar um lugar e formar uma comunidade alternativa…
…em 1976 a primeira proposta de comunidade alternativa chamada bandeira branca. Passamos por algumas experiências, e depois eu tive que me afastar do Tapajós. Inclusive em janeiro quando eu vi a necessidade de erguer a primeira bandeira branca, simbolicamente, no ano de 1977 no alto da Pedra da Gávea na caverna da…
Então o surgimento da proposta da Irmandade foi em 1976 e o símbolo maior hoje do nosso trabalho que é a bandeira branca que foi erguida em 1977 no alto da Pedra da Gávea, por eu considerar ali o símbolo maior do gigante adormecido que é o Brasil. Inclusive quando eu fui registrar o nome bandeira branca, emocionado, eu esqueci de colocar o “r”, e ficou Bandeira Banca. Até hoje, se estiver lá, deve ser motivo de indagação pelos que lêem: o que é isso?

 

5) Hoje, no ano de 2007, sua história esta sendo contada onde?

R: Esta sendo contada na onda do cosmos e se espalhou com o início desse trabalho.
Já faz algum tempo que existem pessoas que no decorrer de suas vidas propagam esta onda, fazendo esse caminho filosófico. Hoje podemos perceber mais gente que inspira a continuidade dessa onda.
Onde esta sendo contada eu realmente não sei. Mais aqui em Alter do Chão esses momentos são oportunos para que nós estejamos desenvolvendo essa parte central do que é essa proposta filosófica, essa busca do homo sapiens.

 

6)Quem são as pessoas da AICBB?

R: A AICBB é uma proposta de vida onde ressaltamos com grande importância o sentimento do AMOR, da VERDADE e da PRO-CRIAÇÃO. As pessoas que conhecem esse símbolo, esse motivo, e vivenciam esses sentimentos, são as pessoas da AICBB, aquelas que nem sabem que esse símbolo existe, mas que também vivem isso, também são as pessoas da AICBB.

 

7) Qual o significado da simbologia da AICBB?

R: A necessidade de se propagar uma idéia faz com que criemos motivos de como repassa-las. Símbolos são formas encontradas para se transmitir uma idéia. A busca dessa idéia, de demonstrar como se tornar homo sapiens, me levou a encontrar palavras, formas e cores para transmitir essa filosofia.

Esse símbolo começa com o triângulo que representa um enigma e dentro desse triângulo tem alguns astros que representam a força maior das nossas energias que são: a estrela Sol, o planeta Terra e o astro Lua. Para que esse enigma não tenha término e pontas, ficou sendo o centro das espirais que representa a vida. E a continuidade da vida se representa com as palavras do AMOR, VERDADE e PRO-CRIAÇÃO. PRO-CRIAÇÃO é uma palavra fundamental para que o homem supere as dificuldades, os problemas da humanidade através de soluções, ou seja: “PRÓ” é a favor, e CRIAÇÃO significa criar uma ação do bem que supere o mau. Essa é a intenção do que entendemos pela palavra PRO-CRIAÇÃO.

Em torno disso tem a forma e as cores do arco-íris que representa a vida por nós conhecida, ou seja, luz mais água e o seu reflexo, forma o arco íris. E as palavras chaves “Irmandade” por considerar que tudo é energia, e assim sendo, somos irmãos de tudo.

Comunindios por sentir que todos têm em comum uma força maior, um Deus, que em cada lugar do planeta se tem um nome diferente. Então “Comunindios” é por nós compreendido, comum em Deus.

Bandeira Branca por ser um símbolo maior dos humanos para representar a paz.

É essa a simbologia que eu vejo que se as pessoas prestarem atenção, compreenderem e exercitarem no seu dia a dia essa busca, vivenciar isso, é possível tornar-nos novamente em homo sapiens.

O Amor na sua grandeza e profundidade superior e sublime faz com que os homens se tornem maiores e superiores e isso só pode se afirmar com a verdade, e em verdade viver isso. E se aprendermos a superar as dificuldades com soluções simples, poderemos assim edificar maior o nosso caminho, o nosso progresso espiritual.

 

8) O que significa “Xámãe” e porquê bebe-lo?

R: Xámãe é o nome que compreendemos por classificar o chá que nós servimos e bebemos nos rituais que fazemos. Xámãe licencia a compreensão maior da luz. Dizem os pesquisadores (cientificamente comprovado) que a composição química (elementos da cadeia molecular do chá) nós possuímos no cérebro, e isto sendo verdade é possível entrarmos no transe do chá independentemente de se beber o chá. E eu vivencio esta realidade. Tenho certeza dessa possibilidade real da gente ter sensações independente de comungar o chá. Mas comungar o chá torna uma realidade possível a cada momento que agente se programa para isso.

Então existem dois tempos em que nós podemos considerar. Tempo em que nos preparamos pra beber o chá, para que quando comungarmos o chá agente tenhamos um estado físico, mental, social da melhor maneira para que o efeito do chá torne a nossa compreensão com mais lucidez sobre as coisas superiores, e tem o momento específico que ao se comungar o chá sente-se o efeito. Efeito este que já esta dentro de nós, em nosso cérebro, esse todo complexo fisiológico natural. Essa força que sentimos durante o efeito do chá, faz com que possamos compreender em um curto espaço de tempo, tudo o que vivenciamos em nossa vida e até buscar no mais profundo da existência humana o conhecimento de gerações passadas.

Comungar o chá é importante para acelerar o efeito que já possuímos dentro nós, para tornar a nossa compreensão ainda maior sobre os aspectos psicológicos. É essa a importância de se comungar o chá.

 

9) Quais são os planos da AICBB para o futuro?

R: Procurar aperfeiçoar cada vez mais a qualidade do nosso chá, aperfeiçoar o nosso ritual em conformidade com as fases da lua. Fazer com que nossa ritualística possa ter um efeito positivo no dia a dia que se segue de cada irmão que consagra o chá. Além de procurar edificar outros ambientes para que a nossa ritualística possa também aperfeiçoar cada vez mais com mais irmãos.

 

10) O que de melhor na sua vida o Xamãe lhe proporcionou?

R: Compreender meus defeitos, fazer com que aperfeiçoe minhas qualidades de forma a interagir com todas as energias. Temos de interagir na nossa convivência da forma mais humana ou da forma mais sutil que seja. Na forma humana, o aperfeiçoamento, a convivência com as pessoas tem sido assim exemplar. Tanto fazendo com que eu me aperfeiçoe cada vez mais, como mostrando às pessoas também essa busca do aperfeiçoamento.

O importante realmente é interagir a sensibilidade com essa forma mais próxima que eu vivencio e que é a forma humana, procurar valorizar o que de melhor nós podemos ter que é a transformação do homo sapiens. Interagir melhor com o nosso relacionamento social e nos qualificar com mais clareza à nossa real passagem, nosso tempo e espaço terrestre.

 

11) O que você espera das pessoas que darão seqüência em seu trabalho?

R: Que vivencie com verdade essa simbologia filosófica. Eu creio que se cada um de nós procurarmos nos aperfeiçoar na compreensão e vivencia dos sentimentos do AMOR, da VERDADE e da PRO-CRIAÇÃO, isso fará com que nós possamos interagir com nosso irmãos mais humanamente, facilitar a nossa convivência, o crescimento espiritual de cada um, além do nosso desenvolvimento com respeito ao ser Humano. Eu creio que quando essa compreensão for vivenciada na sua totalidade, é possível ter outras sensações que serão aperfeiçoadas, tanto estas, quanto outras mais que agora não estão sendo lembradas e ainda outras que nem foram descobertas. Para que sejam encontradas sensações superiores à esta sugestão filosófica, eu creio que devemos passar por esse caminho de luz. Essa compreensão filosófica do AMOR, da VERDADE e da PRO-CRIAÇÃO é uma necessidade humana de momento. Para nós nos edificarmos mais e possamos compreender o que podemos fazer para nos tornarmos melhores, ainda é preciso o entendimento dessa proposta conjuntamente com a sua vivência.

Se cada um procurar passar as suas tentações que todos nós temos, as mazelas de nossa parte animal irracional, se nós superarmos todas as tentações com “o fazer melhor” haverá um fortalecimento humano e o nosso trabalho será mais um dentre tantos outros que devam se edificar nesse plano espiritual.

Eu quero nesse momento oferecer a oportunidade para cada um de nos buscar encontrar soluções para edificarmos e valorizarmos o nosso nome científico.

 

12) Qual a mensagem que você daria a alguém que fosse beber o Xamãe pela primeira vez?

R: Se de a oportunidade de compreender a si e em torno de si. Como cada um é um universo o verso que eu tenho e a prosa que eu digo é relaxe, tenha bons pensamentos e procure compreender as músicas que são cantadas em nosso ritual. A letra das músicas pode ajudar muito, não só nos momentos da força do chá, como no dia a dia em que cada um se lembrar das letras dos cânticos. Tudo passa o que fica é a compreensão. Durante o tempo do efeito do chá tudo vai passar, o que vai ficar é a compreensão disso tudo. E se você compreender os seus erros e facilitar os seus acertos, vai fazer você compreender melhor como você vive o seu dia a dia.

A oportunidade de cada um se compreender mais e se oferecer à oportunidade de comungar o chá, e vivenciar o nosso ritual, pela liberdade que a gente oferece para que cada um encontre suas próprias respostas, é um momento único que todos aqueles que buscam por um motivo na sua vida deva experimentar. Eu costumo dizer que cada um que entra aqui com as próprias pernas, sai no mínimo pensando com sua própria cabeça.

 

13) Se o mundo pudesse ouvi-lo, quais seriam suas palavras para o mundo?

R: AMOR, VERDADE e PRO-CRIAÇÃO!!!

Sobre a filosofia da ICBB

Irmandade Comunindios Bandeira Branca.

Uma proposta filosófica que ressalta a importância de Vivermos em Amor, Verdade e Pro-Criação, muito mais que essas simples palavras, valorizar o ser humano e todas as formas de energia existentes no universo. Saber a importância de conhecer o significado de sermos Homo Sapiens. Utilizar a mente como ferramenta ativa de expansão destas verdades e não apenas um canal receptor intuitivo de emoções e recordações.
A Irmandade vem através de sua proposta filosófica, desenvolvendo e expandindo diversas atividades que buscam o contato do homem com a natureza e sua essência divina tais como: realizando cerimonias de expansão da consciência através do uso sacramental da bebida “Xamãe” conhecida por outros povos como Ayahuasca ou popularmente como “Daime”. Sua proposta ritualística difere muito das demais atualmente conhecidas, oferecendo um contato mais livre e mais próximo do homem com a natureza. Ainda que seja reconhecida como uma instituição “religiosa”, busca compreender na essência o real significado desta palavra que vem do Latin – (Religião – Religare), ou seja, reconectar, religar-se com o Divino. Entretanto, não buscar esta ligação através de um intermediário, como um Pastor, Padre, Xamã, Mestre ou Guru. Devemos nos religar com nosso verdadeiro Deus interior, a essência divina que todos temos guardada em nossa consciência, a verdade que cada um cria e molda de acordo com seus princípios e valores adquiridos em cada cultura e em cada nação. Devendo assim respeitar e reconhecer os valores de cada indivíduo independente de sua raça, crença ou cor. Por isso a existência do nome Irmandade, por entender que todos somos irmãos, iguais perante o universo e a soma de todas as energias do cosmo. irmãos não apenas de seres humanos, mais também dos animais, dos vegetais e também dos minerais.
A palavra “Comunindios” vem do entendimento de que todos devemos ser “Comum-em-Deus” (Comun-in-Dios). Deus é apenas um nome que damos para conceituar esta forca divina que acreditamos existir. Porém outras culturas conceituam com outros nomes tais quais: Jeova, Oxun, Alah, Jah, Brhama, Xchiva, além de outros. A proposta da irmandade e valorizar todos os conceitos e ir além, criar um sentimento ‘comum’ entre todas as crenças, por isso ser Comun em Deus.

Bandeira Branca é a proposta de Paz que necessitamos em nossa atual sociedade. Buscamos a Paz no mundo e paz no coração da humanidade, por isso lutamos em irmandade para que o Amor prevaleça e a Verdade triunfe, a verdade de cada indivíduo e assim juntos nos tornamos Un com o Universo.
Além da proposta espiritual que oferecemos através dos rituais xamânicos, a Irmandade também busca a valorização da floresta em pé. Reconhecendo que somos parte da natureza e que devemos conserva-la para que possamos viver em harmonia, somos a favor do reflorestamento. Por isso através da união e parceria com outras instituições e outros amigos, estamos na missão de semear e criar projetos de cultivo sustentável em áreas degradadas para torna-las produtivas para o cultivo de hortaliças e plantas medicinais tais como as plantas de poder que utilizamos para a produção do Xamãe. Esta iniciativa visa o resgate da nossa cultura indígena que vem se perdendo ao longo das gerações. Hoje percebemos que o sistema ao qual vivemos nos impulsiona para uma sociedade de consumo no qual ao longo do tempo nos tornamos dependentes de coisas e produtos. Nossas raízes ancestrais não precisavam de farmácia para curar uma enfermidade.

 

Nossos antepassados conheciam e utilizavam a natureza como fonte de conhecimento e para cura de todos os males na comunidade. Por isso buscamos resgatar estas tradições através do cultivo de plantas medicinais além de criar projetos para incentivar a valorização deste conhecimento que vem se perdendo.
Estamos vivendo uma era de transformações, a era da consciência e da informação. Valorizar a natureza que também somos parte e de vital importância para a continuidade da nossa espécie. Essa e a missão da nossa Irmandade Comunindios Bandeira Branca.

Sobre a ICBB

A Irmandade Comunindios Bandeira Branca, fundada em Alter do Chão (PA), Amazônia, é um grupo que utiliza o Xamãe (Ayahuasca) em seus rituais para o desenvolvimento social, espiritual e auto-conhecimento. Independente da religião ou crença de cada pessoa ressaltamos a importância de vivermos em AMOR, VERDADE e PRO-CRIAÇÃO. O nosso objetivo é que cada pessoa possa se conhecer melhor, entendendo a si mesmo e o que esta a sua volta com mais clareza, através da busca e contato com a força superior que traz a luz para muitas perguntas até então, sem respostas.

A Irmandade vem através de sua proposta filosófica, desenvolvendo e expandindo diversas atividades que buscam o contato do homem com a natureza e sua essência divina, como realizando cerimonias de expansão da consciência através do uso sacramental da bebida “Xamãe”, Ayahuasca e popularmente conhecida como “Daime”.

O Xamãe, preparado por nós e servido em nossas cerimônias, é uma bebida sagrada milenar, é o elo entre o “ser” e a “força superior”, é a chave para entender muitos mistérios, fazendo com que cada indivíduo torne-se um ser espiritual dotado de auto-conhecimento capaz de encontrar em si todas essas respostas existentes no cosmos.

Nossa proposta ritualística difere das demais, oferecendo um contato mais livre e mais próximo do homem com a natureza. Ainda que seja reconhecida como uma instituição religiosa, a ICBB busca compreender na essência o real significado desta palavra que vem do Latin (Religião = Religare), e significa re-conectar, religar-se com o Divino.

Entretanto e com todo respeito, não buscamos isso através de um intermediário, como um Pastor, Padre, Xamã, Mestre ou Guru. Nos religamos com nosso verdadeiro Deus interior, a essência divina que todos temos guardada em nossa consciência e em nosso coração, a verdade que cada um cria e molda de acordo com seus princípios, experiências, valores adquiridos em cada cultura e em cada nação.

Assim respeitamos e reconhecemos os valores de cada indivíduo independente de sua raça, crença ou cor. Por isso, a palavra Irmandade, entendemos que todos somos irmãos, iguais perante o universo e a soma de todas as energias do cosmo.

Somos irmãos não apenas de seres humanos, mas também dos animais, dos vegetais e dos minerais.

A palavra Comunindios vem do entendimento de que todos devemos ser “Comum-em-Deus” (Comun-in-Dios).
Deus é apenas um nome que damos para conceituar esta força divina que acreditamos existir. Porém outras culturas conceituam com outros nomes tais quais: Jeová, Oxun, Alah, Jah, Brhama, Shiva, Shaddai, além de muitos outros. A proposta da Irmandade visa valorizar todos os conceitos e ir além, criando um sentimento “comum” de respeito e tolerância entre todas as crenças, por isso nos consideramos Comum em Deus.

Bandeira Branca é a proposta de Paz que necessitamos em nossa atual sociedade. Buscamos a paz no mundo e paz no coração da humanidade, por isso nos unimos em Irmandade para que o Amor prevaleça e a Verdade triunfe, a verdade de cada indivíduo compreendida dentro de uma grande verdade divina, assim, juntos nos tornamos UM com o Universo.

Além da proposta espiritual que oferecemos através dos rituais religiosos/espirituais, a Irmandade também valoriza a natureza reconhecendo que fazemos parte dela e que devemos conserva-la para que possamos viver em harmonia, somos a favor do reflorestamento. Através da união e parceria com outras instituições e amigos, estamos na missão de semear e criar projetos de cultivo sustentável em áreas degradadas para torna-las produtivas para o cultivo de hortaliças e plantas medicinais tais como as plantas de poder que utilizamos para a produção do Xamãe. Esta iniciativa visa o resgate da nossa cultura indígena que vem se perdendo ao longo das gerações. Hoje percebemos que o sistema ao qual vivemos nos impulsiona para uma sociedade de consumo no qual ao longo do tempo nos tornamos dependentes de coisas e produtos. Buscamos resgatar estas tradições através do cultivo de plantas medicinais além de criar projetos para incentivar a valorização deste conhecimento que vem se perdendo.

Estamos vivendo uma era de transformações, a era da consciência e da informação. Valorizar a nossa natureza é de vital importância para a continuidade da nossa espécie.
Essa é a missão da nossa Irmandade Comunindios Bandeira Branca.

Palavras de Paulo Brasil

Palavras de Paulo Brasil:

Dê a oportunidade de compreender a si e em torno de si. Como cada um é um universo, o verso que eu tenho e a prosa que eu digo é relaxe, tenha bons pensamentos e procure compreender as músicas que são cantadas em nosso ritual. A letra das músicas pode ajudar muito, não só nos momentos da força do chá, como no dia a dia em que cada um se lembrar das letras dos cânticos. Tudo passa o que fica é a compreensão. Durante o tempo do efeito do chá, tudo vai passar, o que vai ficar é a compreensão disso tudo. E se você compreender os seus erros e facilitar os seus acertos, vai fazer você compreender melhor como você vive o seu dia a dia. A oportunidade de cada um se compreender mais e se oferecer à oportunidade de comungar o chá, e vivenciar o nosso ritual, pela liberdade que a gente oferece para que cada um encontre suas próprias respostas, é um momento único que todos aqueles que buscam por um motivo na sua vida deva experimentar. Eu costumo dizer que cada um que entra aqui com as próprias pernas, sai no mínimo pensando com sua própria cabeça.

Entrevista realizada com Paulo Edson Brasil Freitas Braga (Xamã Paulo Brasil)

1) O que significa a AICBB?

R: A AICBB hoje é uma sigla que significa Associação Irmandade Comunindios Bandeira Branca. Esse é o nome que faz com que as pessoas se agrupem em torno da filosofia…

2) O que a AICBB desenvolve?

R: O nosso objetivo é que cada pessoa possa conhecer-se melhor, e entender o que esta em volta com mais clareza. A intenção do trabalho da AICBB é oferecer oportunidade pra que cada um volte a exercer seu nome científico que é homo sapiens.

3) Conte a historia da AICBB. Onde ela surgiu e quando começou?

R: Foi justamente quando eu me perguntei o que se faria necessário pra que nós, humanos, tornássemos novamente homo sapiens. Observando em volta o complexo social você pode observar que estamos mais para animais curvos e safados. Faz-se necessário encontrar símbolos, formas, filosofias para que o homem entenda o motivo de se tornar novamente homo sapiens. Foi com essas indagações, com essa busca de como encontrar esses símbolos, essas respostas para nos tornarmos homo sapiens, que a história começou.

4) Onde sua historia começou?

R: Ela começou na beira do Tapajós … … Quando um reduto de pessoas resolveu sair da cidade, cada um com um barco, buscando encontrar um lugar e formar uma comunidade alternativa… …em 1976 a primeira proposta de comunidade alternativa chamada bandeira branca. Passamos por algumas experiências, e depois eu tive que me afastar do Tapajós. Inclusive em janeiro quando eu vi a necessidade de erguer a primeira bandeira branca, simbolicamente, no ano de 1977 no alto da Pedra da Gávea na caverna da… Então o surgimento da proposta da Irmandade foi em 1976 e o símbolo maior hoje do nosso trabalho que é a bandeira branca que foi erguida em 1977 no alto da Pedra da Gávea, por eu considerar ali o símbolo maior do gigante adormecido que é o Brasil. Inclusive quando eu fui registrar o nome bandeira branca, emocionado, eu esqueci de colocar o “r”, e ficou Bandeira Banca. Até hoje, se estiver lá, deve ser motivo de indagação pelos que lêem: o que é isso?

5) Hoje, no ano de 2007, sua história esta sendo contada onde?

R: Esta sendo contada na onda do cosmos e se espalhou com o início desse trabalho. Já faz algum tempo que existem pessoas que no decorrer de suas vidas propagam esta onda, fazendo esse caminho filosófico. Hoje podemos perceber mais gente que inspira a continuidade dessa onda. Onde esta sendo contada eu realmente não sei. Mais aqui em Alter do Chão esses momentos são oportunos para que nós estejamos desenvolvendo essa parte central do que é essa proposta filosófica, essa busca do homo sapiens.

6)Quem são as pessoas da AICBB?

R: A AICBB é uma proposta de vida onde ressaltamos com grande importância o sentimento do AMOR, da VERDADE e da PRO-CRIAÇÃO. As pessoas que conhecem esse símbolo, esse motivo, e vivenciam esses sentimentos, são as pessoas da AICBB, aquelas que nem sabem que esse símbolo existe, mas que também vivem isso, também são as pessoas da AICBB.

7) Qual o significado da simbologia da AICBB?

R: A necessidade de se propagar uma idéia faz com que criemos motivos de como repassa-las. Símbolos são formas encontradas para se transmitir uma idéia. A busca dessa idéia, de demonstrar como se tornar homo sapiens, me levou a encontrar palavras, formas e cores para transmitir essa filosofia. Esse símbolo começa com o triângulo que representa um enigma e dentro desse triângulo tem alguns astros que representam a força maior das nossas energias que são: a estrela Sol, o planeta Terra e o astro Lua. Para que esse enigma não tenha término e pontas, ficou sendo o centro das espirais que representa a vida. E a continuidade da vida se representa com as palavras do AMOR, VERDADE e PRO-CRIAÇÃO. PRO-CRIAÇÃO é uma palavra fundamental para que o homem supere as dificuldades, os problemas da humanidade através de soluções, ou seja: “PRÓ” é à favor, e CRIAÇÃO significa criar uma ação do bem que supere o mau. Essa é a intenção do que entendemos pela palavra PRO-CRIAÇÃO. Em torno disso tem a forma e as cores do arco-íris que representa a vida por nós conhecida, ou seja, luz mais água e o seu reflexo, forma o arco íris. E as palavras chaves “Irmandade” por considerar que tudo é energia, e assim sendo, somos irmãos de tudo. Comunindios por sentir que todos têm em comum uma força maior, um Deus, que em cada lugar do planeta se tem um nome diferente. Então “Comunindios” é por nós compreendido, Comum em Deus. Bandeira Branca por ser um símbolo maior dos humanos para representar a paz. É essa a simbologia que eu vejo que se as pessoas prestarem atenção, compreenderem e exercitarem no seu dia a dia essa busca, vivenciar isso, é possível tornar-nos novamente em homo sapiens. O Amor na sua grandeza e profundidade superior e sublime faz com que os homens se tornem maiores e superiores e isso só pode se afirmar com a verdade, e em verdade viver isso. E se aprendermos a superar as dificuldades com soluções simples, poderemos assim edificar maior o nosso caminho, o nosso progresso espiritual.

8) O que significa “Xámãe” e porquê bebe-lo?

R: Xámãe é o nome que compreendemos por classificar o chá que nós servimos e bebemos nos rituais que fazemos. Xámãe licencia a compreensão maior da luz. Dizem os pesquisadores (cientificamente comprovado) que a composição química (elementos da cadeia molecular do chá) nós possuímos no cérebro, e isto sendo verdade é possível entrarmos no transe do chá independentemente de se beber o chá. E eu vivencio esta realidade. Tenho certeza dessa possibilidade real da gente ter sensações independente de comungar o chá. Mas comungar o chá torna uma realidade possível a cada momento que agente se programa para isso. Então existem dois tempos em que nós podemos considerar. Tempo em que nos preparamos pra beber o chá, para que quando comungarmos o chá agente tenhamos um estado físico, mental, social da melhor maneira para que o efeito do chá torne a nossa compreensão com mais lucidez sobre as coisas superiores, e tem o momento específico que ao se comungar o chá sente-se o efeito. Efeito este que já esta dentro de nós, em nosso cérebro, esse todo complexo fisiológico natural. Essa força que sentimos durante o efeito do chá, faz com que possamos compreender em um curto espaço de tempo, tudo o que vivenciamos em nossa vida e até buscar no mais profundo da existência humana o conhecimento de gerações passadas. Comungar o chá é importante para acelerar o efeito que já possuímos dentro nós, para tornar a nossa compreensão ainda maior sobre os aspectos psicológicos. É essa a importância de se comungar o chá.

9) Quais são os planos da AICBB para o futuro?

R: Procurar aperfeiçoar cada vez mais a qualidade do nosso chá, aperfeiçoar o nosso ritual em conformidade com as fases da lua. Fazer com que nossa ritualística possa ter um efeito positivo no dia-a-dia que se segue de cada irmão que consagra o chá. Além de procurar edificar outros ambientes para que a nossa ritualística possa também aperfeiçoar cada vez mais com mais irmãos.

10) O que de melhor na sua vida o Xamãe lhe proporcionou?

R: Compreender meus defeitos, fazer com que aperfeiçoe minhas qualidades de forma a interagir com todas as energias. Temos de interagir na nossa convivência da forma mais humana ou da forma mais sutil que seja. Na forma humana, o aperfeiçoamento, a convivência com as pessoas tem sido assim exemplar. Tanto fazendo com que eu me aperfeiçoe cada vez mais, como mostrando às pessoas também essa busca do aperfeiçoamento. O importante realmente é interagir a sensibilidade com essa forma mais próxima que eu vivencio e que é a forma humana, procurar valorizar o que de melhor nós podemos ter que é a transformação do homo sapiens. Interagir melhor com o nosso relacionamento social e nos qualificar com mais clareza à nossa real passagem, nosso tempo e espaço terrestre.

11) O que você espera das pessoas que darão seqüência em seu trabalho?

R: Que vivencie com verdade essa simbologia filosófica. Eu creio que se cada um de nós procurarmos nos aperfeiçoar na compreensão e vivencia dos sentimentos do AMOR, da VERDADE e da PRO-CRIAÇÃO, isso fará com que nós possamos interagir com nosso irmãos mais humanamente, facilitar a nossa convivência, o crescimento espiritual de cada um, além do nosso desenvolvimento com respeito ao ser Humano. Eu creio que quando essa compreensão for vivenciada na sua totalidade, é possível ter outras sensações que serão aperfeiçoadas, tanto estas, quanto outras mais que agora não estão sendo lembradas e ainda outras que nem foram descobertas. Para que sejam encontradas sensações superiores à esta sugestão filosófica, eu creio que devemos passar por esse caminho de luz. Essa compreensão filosófica do amor, da verdade e da procriação é uma necessidade humana de momento. Para nós nos edificarmos mais e possamos compreender o que podemos fazer para nos tornarmos melhores, ainda é preciso o entendimento dessa proposta conjuntamente com a sua vivência. Se cada um procurar passar as suas tentações que todos nós temos, as mazelas de nossa parte animal irracional, se nós superarmos todas as tentações com “o fazer melhor” haverá um fortalecimento humano e o nosso trabalho será mais um dentre tantos outros que devam se edificar nesse plano espiritual. Eu quero nesse momento oferecer a oportunidade para cada um de nos buscar encontrar soluções para edificarmos e valorizarmos o nosso nome científico.

12) Qual a mensagem que você daria a alguém que fosse beber o Xamãe pela primeira vez?

R: Se de a oportunidade de compreender a si e em torno de si. Como cada um é um universo o verso que eu tenho e a prosa que eu digo é relaxe, tenha bons pensamentos e procure compreender as músicas que são cantadas em nosso ritual. A letra das músicas pode ajudar muito, não só nos momentos da força do chá, como no dia a dia em que cada um se lembrar das letras dos cânticos. Tudo passa o que fica é a compreensão. Durante o tempo do efeito do chá tudo vai passar, o que vai ficar é a compreensão disso tudo. E se você compreender os seus erros e facilitar os seus acertos, vai fazer você compreender melhor como você vive o seu dia a dia. A oportunidade de cada um se compreender mais e se oferecer à oportunidade de comungar o chá, e vivenciar o nosso ritual, pela liberdade que a gente oferece para que cada um encontre suas próprias respostas, é um momento único que todos aqueles que buscam por um motivo na sua vida deva experimentar. Eu costumo dizer que cada um que entra aqui com as próprias pernas, sai no mínimo pensando com sua própria cabeça.

13) Se o mundo pudesse ouvi-lo, quais seriam suas palavras para o mundo?

R: AMOR, VERDADE e PRO-CRIAÇÃO!!!

Xamãe, porquê bebe-lo?

Xámãe é o nome que compreendemos por classificar o chá que nós servimos e bebemos nos rituais que fazemos. Xámãe licencia a compreensão maior da luz.

Dizem os pesquisadores (cientificamente comprovado) que a composição química (elementos da cadeia molecular do chá) nós possuímos no cérebro, e isto sendo verdade é possível entrarmos no transe do chá independentemente de se beber o chá. E eu vivencio esta realidade.
Tenho certeza dessa possibilidade real da gente ter sensações independente de comungar o chá. Mas comungar o chá torna uma realidade possível a cada momento que agente se programa para isso.

Então existem dois tempos em que nós podemos considerar.
Tempo em que nos preparamos pra beber o chá, para que quando comungarmos o chá agente tenhamos um estado físico, mental, social da melhor maneira para que o efeito do chá torne a nossa compreensão com mais lucidez sobre as coisas superiores, e tem o momento específico que ao se comungar o chá sente-se o efeito.
Efeito este que já esta dentro de nós, em nosso cérebro, esse todo complexo fisiológico natural.

Essa força que sentimos durante o efeito do chá, faz com que possamos compreender em um curto espaço de tempo, tudo o que vivenciamos em nossa vida e até buscar no mais profundo da existência humana o conhecimento de gerações passadas. Comungar o chá é importante para acelerar o efeito que já possuímos dentro nós, para tornar a nossa compreensão ainda maior sobre os aspectos psicológicos.

É essa a importância de se comungar o chá.